domingo, 8 de junho de 2014

J.P. Chenet Merlot 2012


Como o objetivo deste blog também é se despir de preconceitos, e trazer vinhos simples e bons para apreciação, vou reverenciar um vinho produzido em larga escala, de uma vinícola que exporta para 160 países ao redor do mundo. É um vinho fácil de ser achado no mercado brasileiro, e é um "Vin de Pays".

Os vins de pays são vinhos com regras menos rigorosas do que as apellations contrôllés, e alguns vinicultores introduziram os modernos métodos de vinicultura e as técnicas de marketing do Novo Mundo nessas regiões, fazendo vinhos frutados, modernos e embalados com requinte. O nome da variedade aparece no rótulo, como nos vinhos da Califórnia, Austrália ou Chile.
O fato é que este Merlot é mais do que um vinho "honesto", como muitos definem, e é de boa relação custo-benefício.




Vinho produzido na região de Languedoc-Roussillon, França.

Na taça uma coloração rubi com halo violáceo, pernas lentas e grossas. Bouquet  amplo, intenso e persistente. Aromas intensos de frutos negros, ameixa, pimentão verde e pimenta. Muito frutado em boca, corpo médio, taninos finos e suaves, elegante. Harmonioso, bem vinificado. Álcool a 13%.

Uma excelente opção para quem aprecia a Merlot, e, melhor, não é caro. Sugiro muito que se prove este vinho, você irá se surpreender. Está longe de ser um clássico francês, ou um grande representante nacional, não espere isso. A questão aqui é gastar pouco e ter prazer na degustação do vinho.

Nota= 88 pontos
Valor= Presente de amigos,  mas no comércio está por volta de 50,00 reais.

Não provei o Cabernet-Syrah, e é pouco provável que o faça, mas este Merlot......


Um Brinde!

5 comentários:

  1. Este Merlot é muito bom realmente. Sou apreciador dos J.P. Chenet e já provei o Cabernet-Syrah. Vale a pena também. Sempre que dá estou degustando desse vinho de excelente custo/benefício, como dito.

    ResponderExcluir
  2. Oi Tiago, sim, realmente, e o bom é que é um vinho acessível a todos. Seja sempre bem vindo ao blog.

    ResponderExcluir
  3. Quase comprei este vinho, deixa pra próxima, o preconceito por algumas pessoas realmente existe e ele acaba quando. O concurso e as segas sem rótulos ou nomes famosos o que vale é o vinho no nariz e na boca, foram assim que muitos vinhos baratos e médios acabaram ganhando

    ResponderExcluir
  4. Sim, realmente, a degustação às cegas torna mais humildes os homens hehe. O melhor é provar os vinhos sem preconceito buscando as diferenças, isso faz o vinho ser a bebida que é e que tanto apreciamos. Sejas sempre bem vindo ao blog.

    ResponderExcluir
  5. A experiência valeu a pena. Os franceses sempre tem algo mais do que a relação custo benefício. Parabéns pelo Blog.

    ResponderExcluir